Gordura Visceral: Um órgão disfuncional na obesidade

Em indivíduos obesos, a capacidade de estocagem de gordura que surge na circulação após as refeições parece estar diminuída em relação a indivíduos magros, como se pode observar pelo comportamento de clearence na circulação dos quilomicrons (carreadores da gordura alimentar).

A figura do estudo referenciado mostra que mesmo nos momentos das refeições (linhas verticais tracejadas), os ácidos graxos livres não-esterificados (NEFA) não variam de modo importante, mostrando que não há mobilização maior destas reservas entre os obesos nos curtos intervalos entre as refeições.  Além disso, os níveis de triglicerídeos provenientes da alimentação perduram muito tempo na circulação. Este fato pode justificar a disponibilidade de gordura livre para deposição ectópica em tecidos como fígado, contribuindo para a evolução de esteatose hepática.

Figura: Concentrações plasmáticas arteriais de NEFA ou ácidos graxos não esterificados(A), Triglicerídeso TG (B), glicose (C), e insulina (D) in individuos magros (●) e com obesidade abdominal  (○).

Referência: McQuaid SE. Downregulation of adipose tissue fatty acid trafficking in obesity: a driver for ectopic fat deposition? Diabetes. 2011 Jan;60(1):47-55. doi: 10.2337/db10-0867. Epub 2010 Oct 13.

Nutrologia Organizacional: 5 passos na Promoção da Nutrição Saudável no Trabalho

Entre as interações que um indivíduo tem com o ambiente, a “entrada” de alimentos acontece várias vezes ao longo do dia. E muitos indivíduos com vida laboral ativa, boa parte desse  tempo se passa no ambiente de trabalho. Assim, medidas nutricionais no ambiente de trabalho podem contribuir para a instituição e consolidação de hábitos alimentares saudáveis.

Algumas medidas podem contribuir de modo especial nesta cruzada.

  • Promova ações locais inicialmente, a fim de criar um modelo de comportamento aplicável para toda a organização, com setores ou indivíduos-campeões e respectivos lemas como: “mantenha a hidratação diária”, “traga mais lanches de casa”, “faça lanches saudáveis”, “vá até a praça de alimentação em vez de fazer sua refeição na mesa”
  •  

    Crie comitês para explorar o endo-marketing, valendo-se dos canais corporativos da instituição e disseminar o conhecimento sobre o tema.

  • Não presuma que os funcionários saibam exatamente o que são hábitos saudáveis. Trabalhe mais detalhadamente os aspectos práticos da alimentação saudável em workshops ou estações de treinamento na própria empresa.
  • Crie na empresa as condições para consolidação destes mesmos hábitos promovidos como acesso a refrigeradores, microondas, espaços reservados para preparo e consumo de lanches, tempos oficialmente cedidos para o treinamento, combate ao sedentarismo e incorporação de estímulos ao uso de escadas;
  • Trabalhe políticas organizacionais amplas que incluam horários reservados para exercício físico e alimentação saudável, acorde com prestadores de serviço a inclusão de itens de contrato que incluam a disponibilidade de alimentos mais saudáveis, pesquise junto aos seus funcionários atividades que possam ser implementadas, até mesmo avalie a pertinência de parcerias com academias e ginásios próximos.

Ações ecologicamente corretas começam pela modificação dos hábitos alimentares dos indivíduos. E as organizações tem um papel fundamental para consolidar novos e saudáveis hábitos de vida com retorno não apenas para si, mas principalmente para o próprio funcionário.