Resistência Insulínica e Síndrome de Ovários Policísticos

A Síndrome de Ovários Policísticos (SPO) está associada à resistência insulínica e maior risco de desenvolvimento de diabetes. Uma das maneiras de se identificar a intolerância à glicose – e consequentemente a resistência insulínica – é através da realização de testes orais de tolerância (TOT). Cree-Green e cols. estudaram a utilidade de testes mais simples do que o TOT tais como o HOMA-IR, Matsuda e o e-IS como proxys para diagnóstico e acompanhamento clínico. O e-IS com corte <0,63 foi o que mostrou melhor desempenho na curva ROC (sensibilidade de 100% e especificidade de 71%). A insulinemia de jejum > 22 IU/mL  mostrou bom desempenho também (sensibilidade = 0,88 e especificiade = 0,78). A conclusão dos autores é que os exames e-IS e insulina de jejum – que podem ser obtidos sem a necessidade de realização do teste oral de tolerância à glicose – podem ser utilizados clinicamente para a condução de pacientes com SOP.

Referência:  Cree‐Green M et al. Using simple clinical measures to predict insulin resistance or hyperglycemia in girls with polycystic ovarian syndrome. Pediatr Diabetes. 2018 Dec;19(8):1370-1378.